LOGO_sem-fundo

Advocacia da Família

O Lage Cardoso e Angelo está pronto para te ajudar.

LCA Advogados

Muito mais que um escritório

O LCA Advogados é um escritório que trabalha com  núcleos especializados em diversos ramos do direito. Nós acreditamos que, quanto mais especializada for a equipe, maior o resultado para nossos clientes. O núcleo especializado em Direito de Família é liderado pelo Dr. Phelipe Cardoso, advogado especialista em Direito Civil e sócio-fundador do escritório. É um profissional referência no País. Atua como membro de bancas de dezenas de concursos públicos, além de ser frequentemente demandado para conceder entrevistas nos maiores veículos de comunicação do País, tais como canais de TV, rádios, jornais, revistas e portais da Internet. O nosso foco é  fornecer aos nossos clientes o melhor resultado possível em qualquer demanda, das mais simples às mais complexas. A nossa advocacia é sem fronteira e nós atuamos em todo Brasil, sem juridiquês e sem barreiras geográficas.  Conte com a gente, nós somos o LCA Advogados e o nosso foco é o seu resultado!

Como podemos ajudar?

NOSSOS SERVIÇOS

PLANEJAMENTO MATRIMONIAL

INVENTÁRIO E TESTAMENTO

REVISÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA

EXONERAÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA

DIVÓRCIO/ DISSOLUÇÃO DE UNIÃO ESTÁVEL

AÇÃO DE GUARDA

COBRANÇA DE PENSÃO ALIMENTÍCIA

REGULAMENTAÇÃO DE VISITAS

Consulta Imediata

Atendimento on-line com um advogado especialista em Familia

Orientação

Vamos mostrar o caminho para resolver seu caso com a ajuda dos nossos profissionais especializados

Diagnóstico

Entenda seus direitos, riscos da demanda e os caminhos necessários para resguardar seus direitos

DEPOIMENTOS

Confira o que nossos clientes falam sobre nosso atendimento e serviços prestados.

Laudiceia Nal
Laudiceia Nal
2023-07-05
Ótimo a pessoa que mim atendeu foi muito educada e soube mim responder com muita clareza as perguntas que foram feitas.
Lucilana Silva
Lucilana Silva
2023-06-27
Surper recomendo,um atendimento de boa qualidade e compreensão
Suelis Cardoso
Suelis Cardoso
2023-06-23
Me ajudou muito 😊
Gislaine Heineck
Gislaine Heineck
2023-06-21
Estão de parabéns! Atendimento excelente, muito atenciosos 👏👏
Marcelo Cleiton
Marcelo Cleiton
2023-06-19
Atendimento bom e bem explicado
Farmacia Lima & Cosméticos
Farmacia Lima & Cosméticos
2023-06-16
Excelente atendimento Super indico Prazer Joslene
Viviane Gonzalez Gomes
Viviane Gonzalez Gomes
2023-06-15
Excelente atendimento nota 1000

Perguntas Frequentes

Em caso de separação do casal, o menor tem direito à pensão alimentícia até os 18 anos. Caso esteja na faculdade, pode pedir prorrogação do pagamento até os 24 anos, mas cada caso será analisado por um juiz.

O pagamento de pensão é obrigatório até mesmo se o pai está desempregado, ou se é menor de 18 anos. Em caso de desemprego, juízes fixam um percentual sobre o salário mínimo, geralmente de 30%. Quando o pai é menor e não pode fazer o pagamento, a responsabilidade pode ser repassada aos avós paternos.

Uma pergunta frequente é se a mãe (quando em posse da guarda do menor) tem o direito de proibir o pai de ver a criança se estiver com a pensão atrasada. A resposta é não!

O que a mãe pode fazer é acionar a justiça para que o pai seja obrigado a regularizar a situação. Caso ele não o faça, pode ser preso. Se a mãe resolver proibir a visitação, corre o risco de ser condenada por alienação parental.

Como consequência, pode perder a guarda do menor, e até ter suspensos seus direitos sobre o filho. Conforme explicam advogados, a criança não pode ser usada como fonte de negociação entre os pais.

Desde 2014, a Justiça prevê que os pais, se estiverem de acordo, devem tentar assegurar a guarda compartilhada. Nesse caso, os dois ficam responsáveis pelo menor e têm o mesmo peso na hora tomar de decisões e de assumir responsabilidades. As visitas são realizadas segundo a previsão dos próprios pais, e os custos do sustento do menor são divididos.

Caso a guarda compartilhada não seja possível, os pais podem decidir com quem o menor fica. Se isso também não for possível pela falta de entendimento, quem determina é Justiça, com base no que será melhor para a criança ou adolescente. Além disso, a Justiça também definirá valor da pensão e dias de visitação.

Sim, pode. O pedido chama-se “alimentos gravidícios” e prevê que o pai da criança auxilie a gestante com uma pensão mensalpara ajudar no pagamento dos custos de alimentação, exames rotineiros, assistência médica e também psicológica. Isso visa também garantir o desenvolvimento saudável do bebê.

Fale conosco

Gostaríamos muito de ouvir você:

Scroll to Top
Rolar para cima